Celebração da Fé 03/08/2020 – Áudio Pe. Jackson Frota, sss

Celebração da Fé 03/08/2020 – Áudio Pe. Jackson Frota, sss

“E gritaram de medo. Jesus, porém, logo lhes disse: ‘Coragem! Sou eu. Não tenhais medo!’” (Mateus 14,27-28).

Louvado seja Deus por mais uma nova semana, consagramos esses novos 07 dias da 18ª Semana do Tempo Comum à presença do nosso bom Deus.Por isso, ao redor do Altar do Senhor, diretamente desta capela do Santuário de Adoração, nos unimos às suas boas intenções. Rezamos por sua família, rezamos por seu trabalho, rezamos pelas intenções dedicadas aos irmãos doentes, aos falecidos e a todos aqueles que de coração sincero, nos pedem para incluirmos nas nossas intercessão.

Queremos dar início a esse novo mês, de agosto, sob a proteção do Deus que nos criou com tanto amor e nos guia ao longo desta vida e que nos eleva as alturas para vivermos com Ele eternamente. Por isso tomemos posse da Palavra de Deus. Tudo está escrito, tudo aquilo faz parte da Providência Divina, tudo aquilo que já passou, tudo que está e tudo que ainda acontecerá. Não adianta usarmos de falsas profecias, criarmos mentiras ou iludirmos o povo pelo nosso querer pessoal, diante do plano Divino, do plano de Deus.

O que nós ouvimos a primeira leitura, justamente, é a ação de um falso profeta, alguém que queria talvez tirar algum benefício diante de uma profecia mentirosa. O povo de Israel estava exilado na Babilônia sob forte jugo de Nabucodonosor. O povo sofria muito, porque a Babilônia tinha sido um dos maiores Reinos da terra e naquele momento exercia muita força, uma força sobre todas as outras Nações.

Israel havia sido escravizada também por causa da sua idolatria, porque estavam divididos, porque tinham virado as costas para Deus, eles haviam se entregado a outros deuses, e esta fidelidade do povo foi substituída pela infidelidade a ponto de ficarem tão fragilizados pelas divisões internas que o Reino da Babilônia foi fácil invadir e levar a todos para escravidão.

Entre esse tempo de escravidão, de exílio, Deus constitui Jeremias como profeta, aquele que é o porta-voz para trabalhar na mente, no coração e na alma do Povo de Deus, de Israel que volte à fidelidade ao Senhor, que saiam da infidelidade, da idolatria.

Mas alguém surge por nome de Ananias se dizendo profeta e diz que Deus, disse para para ele que, nos próximos dois anos, o povo seria libertado das mãos Nabucodonosor e que Jeremias poderia então parar de profetizar, parar de falar de Deus, para este povo que ainda estava sendo capacitado, instruído mesmo diante do sofrimento, mas o Senhor havia se proposto junto do profeta Jeremias de reconduzir à casa de Israel.

Interessante porque ele faz todo o espetáculo de discurso, iludindo os sacerdotes, iludindo o povo, a ponto a até de ir ao encontro de Jeremias e dizer que Deus falou para ele isso, talvez um devaneio, talvez uma fantasia, talvez um desejo, até talvez, de tirar algo de proveito diante dessa profecia errada e mentirosa.

Ele chega a quebrar o instrumento, que a gente chama de canga, o jugo de Jeremias carregava no pescoço, no sentido simbólico de que ele estava ali em nome de Deus cumprindo a missão, ele quebra, assim como ele profetizou que Deus quebraria os grilhões da escravidão na Babilônia.

Só que em seguida Deus também fala para Jeremias que aquilo ali não passava de mentira, que os grilhões que levavam o povo de Deus à escravidão tinha sido feito de ferro e não de madeira, significa que o tempo seria ainda longo, que o povo ainda passaria por um tempo de muitos sacrifícios, de muito sofrimento para aprenderem a renovar a aliança com Deus, e serem fortes suficientes para a sua sobrevivência diante dos povos invasores.

Jeremias então, avisa aos sacerdotes, inspirado pelo oráculo do Senhor, que aquela profecia de Ananias era mentirosa, era fraudulenta, a ponto do próprio Ananias morrer durante aquele mesmo ano, ou seja, muitas vezes nós somos homens e mulheres que ficamos impressionados e iludidos, por falsos profetas, pessoas que falam em nome de Deus e usam até mesmo recurso da oratória e falam muito bonito, para tirar proveito do Povo de Deus para tentar iludir, ludibriar.

Por isso, precisamos abrir bem os nossos olhos, mas não só os nossos olhos físicos, os olhos da sabedoria, os olhos do raciocínio, os olhos de alguém que está em sintonia com Deus, como Jeremias assim estava, para não nos deixarmos levar pelas falsas profecias que são muitas e principalmente nesses tempos em que estamos vivendo de muita carência, de muita angústia e de muito desespero. Pessoas que vendem objetos dizendo que são sagrados, pessoas inventando correntes dizendo que ao final dessa corrente você vai encontrar um milagre.

Cuidado! Nós não merecemos ser conduzidos por pessoas cegas, por falsos profetas, nós temos um guia, supremo, Jesus Cristo, é Ele que é o profeta de toda a humanidade, é Ele que traz a profecia da paz e da justiça, por isso não deixemos nos iludir através de pessoas que querem na verdade nos confundir e atrapalhar toda a nossa fé. Fé esta que é pautada na fidelidade e na coragem de seguir o profeta de Deus, nosso Senhor Jesus Cristo.

Foi o que aconteceu, Jesus no Evangelho, estava pregando o Reino dos Céus na margem do mar e o povo ali apresentando sua fé a Jesus, o escutava e o Senhor passa o dia inteiro pregando o Evangelho da boa Nova, o Evangelho da justiça e da paz e chega um momento que o Senhor fica sozinho para orar, para dialogar com Pai e ao anoitecer, os apóstolos, principalmente os pescadores, Pedro Tiago, João, André, estavam pescando e o Senhor decide então ir caminhando ao encontro deles, só que o Senhor não vai caminhando de qualquer forma, Ele vai caminhando sobre as águas, assinalando o seu poder Divino sobre todos aqueles que querem aprofundar a sua fé e não ficar na margem da praia, não ficar na seguranças das inseguranças, são tantas coisas que nós nos agarramos, mas que na verdade é tão inseguro.

Ao ver aquela pessoa se aproximando sobre as águas Pedro se assusta todos também e gritam: é um fantasma! Não é, é Jesus que vai o encontro deles, Pedro duvida que é Jesus: ‘Se és tu Senhor, faça que eu vá também ao teu encontro!’ E Jesus diz: venha! E firmemente Pedro começa a caminhar sobre as águas, que maravilha, que visão extraordinária que João, Thiago, André devem ter tido ao ver Pedro andando sobre as águas e indo encontro do Senhor.

Mas o medo, o medo impediu de Pedro chegar perto de Jesus sobre as águas da vida, o mar apresentou para ele medo, assim como o mundo nos apresenta o medo.Porque nós estamos infelizmente, no meio de falsos profetas, de lobos ferozes, passamos por tempestades e ondas do mar, que nos levam muitas vezes a nos sucumbir, que levam muitas vezes ao nosso naufrágio.

Mas Pedro gritou: Jesus, socorra-me, e o Senhor estendeu a mão e socorreu Pedro.

Queridos irmãos e queridas irmãs a atitude de Pedro de ir ao encontro do Senhor é nossa atitude diária de ir ao encontro do mestre, o Senhor vai nos capacitando a cada passo como um bebê que está engatinhando, que está aprendendo andar. Na grande Seara de Deus todos nós somos ainda bebês , crianças, aprendendo, engatinhando, a fazer, a firmar os passos no mar da vida, porque é Jesus que está à nossa frente e Ele diz: vem e segue-me.

Não segue os que não são de Deus, não siga os falsos profetas, o mar da vida já tem suas ondas capazes de te carregar, capazes de te afastar de mim, mas fite os seus olhos em mim, não tenha medo firme seus passos, caminhe, estou aqui, a minha mão está estendida para ti.

Tomemos posse então dessa palavra de hoje, que Senhor nos livre dos falsos profetas começando daqueles que convivem conosco no dia a dia, passando por aqueles que estão na mídia, na televisão, na internet, no rádio, iludindo o povo de Deus para tirar proveito. Para que o maior mais perfeito profeta, Jesus Cristo, nos ajude a firmar nossos passos no mar da vida e a caminharmos rumo a Ele, rumo a salvação!

Padre Jackson Frota, sss

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta